O discernimento de uma grande nação

Quando ouvimos uma história a nossa mente processa rapidamente a informação captada nos trazendo imediata visualização daquilo que nos foi falado, se estivermos atentos na mensagem proferida.

“ porque o ouvido prova as palavras, como o paladar a comida”. (Almeida Revisada)
Eliú no monólogo narrado no livro de Jó no capítulo 34:3 compara justamente que o que ouvimos nos serve de alimento.
Nosso cérebro processa essa informação nos trazendo a mente à imagem de uma história contada por alguém que, possivelmente declara ser conhecedor daquilo que expõe.

“Tratemos de discernir juntos o que é certo e de aprender o que é bom.” (NVI)
Jó 34:4

Quando Elliú reprende Jó utiliza esta frase para que o discernimento seja feito entre eles e quando se refere: ‘juntos’ nós trás o entendimento que podemos discutir e avaliar aquilo que nos serve de alimento retendo o saudável e dispensando o que porventura venha ser prejudicial para nossa saúde.

Entretanto, existiu um homem que não tinha as facilidades do mundo moderno.
A internet na sua velocidade, os portáteis com os seus recursos cada vez mais surpreendentes.
Abraão não tinha os livros e acima disso, não tinha as orientações do nosso Deus por meio de sua palavra.
Abraão tinha uma promessa.

Perco-me em pensamentos quando começo a imaginar a vida do patriarca, desprovido de recursos andando por lugares desconhecidos vivendo situações extremamente difíceis ao lado de Sara e do seu sobrinho Ló.

O momento mais importante de Abraão, no nosso ponto de vista, não é a promessa, mas sim a aliança estabelecida com Deus que ocorre após o encontro com Melquisedeque.

Quem foi Melquisedeque ?

(Hebreus 7:3)… narra "Sem pai, sem mãe, sem descendência, não tendo nem começo nem fim de dias... o qual recebeu o ofício do sacerdócio"

E foi através de Melquisedeque que Abraão recebeu, após uma batalha vitoriosa e após o alimento,  a benção:

-Então Melquisedeque, rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho.
Gênesis 14:18

- Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, Criador dos céus e da terra.
Gênesis 14:19 (NVI)
- E Abrão lhe deu o dízimo de tudo. Gênesis 14:20 (NVI)


Abraão teve a sabedoria no discernimento num dos momentos mais relevantes do contexto histórico da nação de israel.
O peso da promessa de Deus para a vida de uma nação estava tomando o rumo certo.

Abraão reconhece o sacerdócio e não o título de Rei em Melquisedeque.
O importante naquele momento era a quem ele servia e não o povo o qual ele governava.

Após o alimento vem o discernimento e Abraão lhe deu o dízimo de tudo.

Você tem uma promessa.

Sejam quais forem os desafios de uma guerra ou o peso de uma responsabilidade, é de suma importância saber:

- Quem está te alimentando?
(meditar)
- Quem está te abençoando? (meditar)
- Onde está sendo investido o dinheiro do seu dízimo? (meditar)
- O sacerdócio de Melquisedeque foi temporal enquanto que o de Cristo foi eterno (Hebreus 7:25);
- Procure conversar com os seus líderes sobre suas dúvidas e procedência daquilo que você poderá comer na casa de um amigo. (meditar)

O reconhecimento através do discernimento daquele que oferece o alimento ditará o futuro da sua vida com Cristo e para Cristo.

Para Cristo seja a Glória, o domínio e o poder para todo o sempre,
Amém.

Seme Said
Dirigente Sub congregação
Ilha dos Valadares - Ministrado no dia 10 de Abril de 2012

O discernimento de uma grande nação